emagrecer com super slim xMovimento, essencial para a vida

Vendo o homem nos dias de hoje esquecemos que já fomos “animais selvagens”, caçadores, “homens das cavernas”. Antes de nos firmarmos numa determinada região, vivíamos sob a condição de nomadismo e usávamos a locomoção para a  sobrevivência na busca por alimento (caçando) e também na luta ou fuga de predadores, o que mostra que o movimento é inerente à evolução do ser humano.

Algumas características primitivas perduram. Por exemplo, possuímos um sistema nervoso autônomo que sob situação de estresse libera uma série de hormônios para fazer com que nosso organismo desempenhe o mesmo papel de quando tínhamos de lutar ou correr de supostos predadores. Um destes hormônios é a adrenalina que promove dentre outras coisas o aumento da freqüência respiratória, o aumento da força de contração e dos batimentos cardíacos, fazendo com que o coração ejete mais sangue para os músculos a fim de capacitar o indivíduo a enfrentar essa situação estressante.

Hoje, com o advento da tecnologia e o prestigio das profissões em que se valoriza uma atividade mais “racional” e, por conseguinte mais estática, tendemos a nos mexer menos. E como se não bastasse, nosso lazer ou em nossas horas vagas, muitas vezes ficamos limitados a assistir à televisão deitados, movimentando no máximo os dedos das mãos para trocar o canal através de um controle remoto que nos deixa mais parados.

O estresse continua, nos tempos de hoje a causa e os estímulos são diferentes. A liberação hormonal ainda é a mesma, só que nossa reação frente ao estresse mudou, não nos movemos mais, não permitimos que os hormônios cumpram seu papel através do corpo, mas ficamos parados dentro do carro no trânsito ou em frente a um computador.

É fato, não é necessário ser nenhum doutor em medicina para saber o enorme risco pelo qual se passa quando tornamos prática uma fórmula totalmente indesejada: Estresse + Sedentarismo que é mais comum do que imaginamos.

A descarga hormonal constante provocada pelo estresse diário e o sedentarismo isolados já são por si fatores de risco para hipertensão e outros acometimentos do aparelho cardiovascular, (falando em sistema cardíaco apenas), imagine esses 2 fatores somados.

Estamos deixando de lado um fator que foi primordial para a evolução do ser humano e hoje é essencial para a prevenção e até tratamento de algumas doenças. Deixar de usar o controle remoto, deixar de usar o carro, as tecnologias de hoje e até deixar de se passar pelo estresse acredito ser inevitável, mas com Atividade Física com certeza seus danos são minimizados, os fatores para eventuais problemas cardíacos são diminuídos, além de estar comprovado que o Exercício Físico regular nos capacita a administrar e lidar melhor com os estresses.

Impossível imaginar um pássaro com um belo par de asas sem voar, assim como o ser humano com um belo e perfeito corpo sem se movimentar, por isso a palavra de ordem é: Mexa-se!

Correr ou Caminhar?

corrida ou caminhadaA caminhada e a corrida são movimentos naturais do ser humano que são praticados com diferentes propósitos há milhares de anos. Apesar da aparente simplicidade, essas atividades envolvem um complexo sistema bioquímico de mobilização de energia de substratos como os carboidratos, gorduras e  proteínas chamado de Womax.

Além da mobilização de energia, nossos músculos, tendões, ossos e articulações  são os principais responsáveis por absorver o impacto promovido pelas atividades físicas.

Antes de responder a pergunta proposta no título, vamos colocar mais alguns argumentos científicos como os princípios do treinamento esportivo. Qualquer prescrição de Exercício Físico deve passar pelos seguintes princípios.

1º) Individualidade Biológica – Este princípio diz que  as pessoas são diferentes, apresentam necessidades diferentes e a prescrição do exercício deve ser individualizada.

2º) Sobrecarga Progressiva – Este segundo princípio preconiza que a plena adaptação ocorre em decorrência de aumentos progressivos da sobrecarga, dessa forma, o indivíduo não pode começar com uma carga superior a carga ideal e nem deve permanecer com a mesma intensidade de exercício durante muito tempo.

3º) Reversibilidade – Esse princípio diz que as adaptações alcançadas pelo exercício são reversíveis, ou seja, um período de inatividade física é o suficiente para perdermos alguns dos benefícios promovidos pelo exercício caso não use suplementos como Power Blue comprar.Com base nos princípios descritos acima e nas considerações iniciais desse artigo podemos começar a responder a pergunta.

Qual o melhor exercício, a caminhada ou a corrida?

A caminhada é um exercício que provoca uma sobrecarga menor as articulações, no entanto o gasto calórico dessa atividade é inferior ao da corrida.

Pensando no primeiro princípio da individualidade biológica, sabemos que algumas pessoas estão aptas a executarem exercícios mais complexos que promovam maior sobrecarga e maior gasto calórico, enquanto outras provavelmente apresentariam lesões por não suportar a sobrecarga imposta pela corrida.

O segundo princípio sobre a sobrecarga progressiva enfatiza a preocupação em aumentar a sobrecarga para promover adaptações ao corpo humano, ou seja, um caminho natural para a corrida passa pela caminhada leve em torno de 4km/h, depois uma caminhada mais acelerada cerca de 6km/h chegando finalmente no trote (corrida pouco intensa, cerca de 7kmh) e a partir dessa velocidade a pessoa começa efetivamente seu treino de corrida.

O último princípio e não menos importante é o da reversibilidade, que especificamente no caso da corrida/caminhada diz que após um período de inatividade os benefícios se perdem, ou seja, aquele indivíduo que era capaz de correr 30 minutos há 10km/h, não será capaz de executar o mesmo exercício após 3 meses sem treinamento.

Concluindo, a caminhada e a corrida são bons exercícios, nenhum dos dois pode ser considerado melhor que o outro e sim mais adequado a determinado indivíduo após a análise dos princípios de treinamento e dos objetivos da etapa de treinamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *